Ministério da Cultura homologa tombamento do Saveiro de Vela de Içar Sombra da Lua

Publicação: 21/06/12 | 13H06 - Última Atualização: 21/06/12 | 15H06


O ministro da Cultura interino, Vitor Ortiz, homologou o tombamento do Saveiro de Vela de Içar Sombra da Lua, que passa a ser patrimônio nacional. A solicitação pelo tombamento de uma das mais belas e antigas embarcações da Bahia havia sido feita em dezembro de 20120, quando o Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural apoiou o pedido de tombamento feito através do processo de nº 1.615-T-2010.

Roberto Carlos G. Bezerra, um dos proprietários do Sombra da Lua e vice-presidente da Associação Viva Saveiro, ficou feliz com a notícia. “Isso é fundamental para a Bahia. Um objeto tombado pelo patrimônio nacional passa a ter sua importância reconhecida. A Baía de Todos os Santos sem saveiro, não existe”, afirma Malaca, como é mais conhecido.

O Sombra da Lua tornou-se um símbolo da luta pela preservação dos saveiros, cuja história está diretamente ligada a História do Recôncavo Baiano. Com o tombamento, o saveiro não poderá mais ser descaracterizado, terá que ser conservado e restaurado apenas com peças originais. “O Sombra da Lua e um exemplo da força cultural da Bahia e o seu tombamento um reconhecimento, do Ministério, da importância de se preservar as tradições dessa terra”, avalia Monica Trigo, chefe da Representação Regional do Ministério da Cultura na Bahia.

Até a década de 1970 era possível observar saveiros de dois e até de três mastros navegando pelas águas do Paraguaçu e mares do Recôncavo, conforme se constata na leitura dos estudos de Theodor  Selling, Pedro Agostinho e Lev Samarcevski. As fotografias tiradas por Pierre Verger entre 1946 e 1948 também são um precioso documento do cotidiano dos saveiros no Mercado Modelo, navegando pelo Recôncavo, desembarcando e carregando mercadorias. Eram milhares, de todos os tipos.

Com o passar dos anos, eles foram desaparecendo. Segundo levantamento feito pela Associação Viva Saveiro, em 2008 restavam apenas 20 embarcações desse tipo, das mais de mil que existiam. “Esses saveiros não são encontrados em mais nenhum outro lugar do planeta. Estamos trabalhando para que esse patrimônio seja preservado para as próximas gerações”, afirma Malaca.

O tombamento do Sombra da Lua está de acordo com o projeto Barcos do Brasil, lançado em 2008 pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), órgão vinculado ao Ministério da Cultura, para  preservar e valorizar o patrimônio naval através de ações de proteção de embarcações, paisagens e acervos históricos e eventos do setor náutico.

*Ascom / MinC Bahia